Translate this Page

Rating: 2.1/5 (1056 votos)




ONLINE
3




Partilhe esta Página





O Portal da Teologia 

Indice Mapa do Site Avançado
Busca O Portal

 Ychzek'el [Ezequiel] 9.3-4

O PORTAL DA TEOLOGIA

A marca de Cristo. 

3. Então a Glória do Deus de Yisra'el começou a se levantar sobre o keruv, desde onde ele estava até a entrada da casa. Ele chamou o homem vestido com roupas de linho, o qual tinha equipamento de escribas em sua cintura

4. Adonai lhe disse: "Vá por toda a cidade, através de toda a Yerushalayim, e ponha uma marca em sua testa como a de um homem [Cristo] que está suspirando e chorando por todas as práticas odiosas que estão sendo cometidas ali".  

 Atenção: O Arrebatamento da Irmã Vilma - Assista aqui em [Vídeos e Nova Era] Cuidado com a sua Alma! 

 

Graça e Paz em Cristo → A todos os Leitores → Sejam bem vindos → No nome de Jesus!  Comentem os artigos → Iniciem discussões sobre os temas → O Moderador. 06.04.2014 

 

OPorTAU.png 

Pedido de Oração  

 

oportal@oportaldateologia.orgimagem

 
Email:
oportal@oportaldateologia.org

 https://www.facebook.com/ThePortalOfTheology

 

O Portal da Teologia autoriza a republicação de todos os artigos do site na íntegra, desde que cite a fonte de origem.  


Jerusalém Através Dos Séculos
Jerusalém Através Dos Séculos

 JERUSALÉM (II)

 

Três mil anos de História

 

Jerusalém Através Dos Séculos 

“Assim diz o Senhor, o Eterno: Esta é Jerusalém! Eu a coloquei no centro entre as nações e terras ao seu redor”.

 Jerusalém, na Época de Jesus Cristo.

"Apegue-se a minha lingua ao paladar, se me nao lembrar de ti, se nao preferir Jerusalem à minha maior alegria." (Salmos 137.5-6)

O Rei Davi fez de Jerusalém a capital do seu reino e o centro religioso do povo judeu em 1003 a.C. Cerca de 40 anos mais tarde, o seu filho Salomão construiu o Templo (centro religioso e nacional do povo de Israel) e transformou a cidade em próspera capital de um Império que se estendia do Eufrates até o Egito.

Nabucodonosor, Rei da Babilônia, conquistou Jerusalém em 586 a.C. , destruiu o Templo e exilou o povo judeu na Babilônia (entre os rios Tigre e Eufrates). Cinqüenta anos depois, com a conquista da Babilônia pelos persas, o rei Ciro permitiu que os judeus retornassem à sua pátria e lhes concedeu autonomia. Eles construíram o segundo Templo, no local do primeiro, e reconstruiram a Cidade e suas muralhas. Esta segunda reconstrução ficou ao encargo de Esdras e Neemias.

Alexandre o Grande conquistou Jerusalém em 322 a.C. (advento do helenismo grego na Palestina, preparando o mundo para receber nosso Jesus Cristo). Após a sua morte, a Cidade foi governada pelos Ptolomeus do Egito e mais tarde pelos Selêucidas da Síria. A helenização da Cidade atingiu o auge sob o rei selêucida Antíoco IV; a profanação do Templo e a tentativa de anular a identidade dos judeus deram origem a uma revolta.

Liderados por Judas, o Macabeu, os judeus derrotaram os selêucias e reconsagraram o Templo em 164 a.C., e restabeleceram a dinastia judaica sob os Hasmoneus, que conservou-se no poder por mais de 100 anos, até que os romanos tomaram Jerusalém, sob a liderança de Pompeu. Herodes, o Idumeu, governou a Judéia de 37 a.C. até 4 d.C. Ele estabeleceu instituições culturais, reformou e remodelou o Templo, transformando-o num esplendoroso edifício.

Após a morte de Herodes, o governo romano tornara-se cada vez mais opressivo.
Em 66 d.C., irrompeu a revolta dos judeus contra Roma.
Durante alguns anos, Jerusalém esteve livre das opressões estrangeiras, até que, em 70 d. C., as legiões romanas comandadas por Tito, conquistaram a cidade e destuíram o Templo.
A indepencência judaica foi restaurada por breve período, durante a revolta de Bar-Kochba (132-135), mas os romanos triunfaram, mais uma vez, e os judeus foram proibidos de entrar em Jerusalém. A Cidade foi reconstruida, com o nome "Aelia Capitolina" e com feições de metrópole romana.

Duas grandes avenidas foram abertas - nos sentidos norte-sul e leste-oeste - , dividindo a Cidade em 4 quarteirões (judaico, cristão, mulçulmano e armênio).

Apesar dos nomes, esses quarteirões nunca foram homogênios; sempre houve uma mistura de todos os credos morando juntos em Jerusalém!

Em 634, com o enfraquecimento do Império Romano, exércitos muçulmanos invadiram o país. Em 638, Jerusalém foi conquistada pelo Califa Omar. Já sob o reinado de Abdul Malik, foi construída a mesquita do Domo da Rocha (ou Mesquita de Omar). Após um século da dinastia omíada de Damasco, Jerusalém passou a ser governada pela dinastia dos Abássidas de Bagdá, (em 750), época na qual começou o declínio da cidade.

Os cruzados conquistaram Jerusalém em 1099, massacraram seus habitantes judeus e muçulmanos e fizeram de Jerusalém a capital do reino. Sob o domínio dos cruzados, sinagogas foram destruídas, velhas igrejas foram reconstruídas e muitas mesquitas transformadas em templos cristãos. Os cruzados dominaram Jerusalém até 1187, quando a Cidade foi conquistada por Saladino, o Curdo.

Os turcos Otomanos, cujo domínio prolongou-se por 4 séculos, conquistaram a cidade em 1517. Suleiman, o magnífico, reconstruiu as muralhas de Jerusalém (1537), construiu o reservatório do Sultão e instalou fontes públicas por toda a Cidade. Após a sua morte, as autoridades centrais em Constantinopla demonstraram pouco interesse por Jerusalém. Durante os séculos XVII e XVIII, Jerusalém viveu um de seus piores períodos de decadência.

Jerusalém tornou a prosperar a partir da segunda metade do século XIX.

Um crescente número de judeus que retornavam a sua pátria ancestral; o declínio do Império Otomano; e o renovado interesse da Europa pela Terra Santa foram os fatores do reflorescimento da cidade.

O exército britânico, comandado pelo general Allenby, conquistou Jerusalém em 1917. Entre 1922 e 1948 Jerusalém foi a sede administrativa das autoridades britânicas da Terra de Israel (Palestina), que fora entregue á Grã-bretanha pela liga das Nações, após o desmantelamento do Império Otomano, no final da Primeira Guerra Mundial. A cidade se desenvolveu rapidamente, crescendo rumo ao oeste, parte que ficou conhecida como "Cidade Nova".

Com o término do mandato Britânico, a 14 de maio de 1948, e de acordo com a resolução da ONU de 29 de novembro de 1947, Israel proclamou a sua independência e Jerusalém tornou-se a capital do País. Opondo-se ao estabelecimento do novo Estado, os países arabes lançaram-se num ataque de várias frentes, o qual deu origem à Guerra da Independência, de 1948 a 1949. As linhas de armistício, traçadas ao final da guerra, dividiram Jerusalém em duas partes: a Cidade Velha e as áreas ao seu redor. Ao Norte e ao Sul, o domínio ficou com a Jordânia. Israel reteve o controle das partes Ocidental e Sudoeste da cidade.

Desde que a cidade velha está sob o domínio israelense, nenhum esforço foi poupado no sentido de manter viva sua herança física e espiritual, e de serem preservados as marcas tangíveis do seu passado. O quarteirão judaico, que fora quase inteiramente destruído durante a ocupação jordaniana (1948-1967), vem sendo reconstruído. A sinagoga Hurva, construída há cerca de 400 anos, dominava todo o horizonte desta área antes de 1948; hoje em dia, apenas um arco comemorativo marca o local onde se encontrava.

Jerusalém foi reunificada em junho de 1967, em resultado de uma guerra na qual a Jordânia tentou se apoderar da parte ocidental da cidade.

O quarteirão judeu da Cidade Velha, destruído sob o domínio jordaniano, foi restaurado e os cidadãos israelenses puderam de novo visitar os seus lugares santos, o que lhes tinha sido negado desde 1948.

Na zona do mercado (quarteirão mulçumano), cuja arquitetura apresenta beleza singular, as fachadas foram limpas e consertadas; recolocaram-se venezianas, vidraças e outros acessórios; os telhados da rua principal foram substituídos, os becos repavimentados, e instalou-se moderna infra-estrutura.

Uma nova e bem planejada praça foi construída em frente ao Muro das Lamentações, que permite a congregação de milhares de fiéis.

 

 

 

A Basílica do Santo Sepulcro (danificada por um incêndio, em 1833; e por um terremoto, ocorrido em 1926) foi recentemente restaurada, pelo esforço conjunto das tres principais igrejas zeladoras.

Hoje em dia, Jerusalém é uma síntese sem igual do velho e do novo e, sobretudo, é marco de uma história que se confunde com a história da própria humanidade.

 

 

http://www.chamada.com.br/mensagens/historia.html

 

 

              

 

 

 

 


newline oportal

 

Editoriais

As taças da ira de Deus  estão prestes a se derramarem sobre a terra! 

Quero fazer um breve relato sobre esta chamada em "Flash”, visto que não vejo a necessidade de escrever um artigo específico sobre o título, bem como também não vou citar referências bíblicas que corrobore com este assunto.

 

Os elementos ardendo  

em breve se fundirão!

Cuidado!

Um corpo terrestre, 

se chocará contra a terra e 

causará repentina destruição. 

 

Leia Mais imagem

 

A falsa doutrina do pré-tribulacionismo  

Qual biblicamente é a mais viável para você? A Meso-tribulação [Arrebatamento no meio da tribulação] ou a Pós-tribulação? [Arrebatamento depois da tribulação] Em qual delas acontecerá o Arrebatamento da Igreja! Será antes da tribulação? Reflita! Leia Mais  imagem

 

 

  Reflexão do O Portal

         2013

O oitavo Rei foi eleito.

A besta que era e já não é, é também o  oitavo rei, e é dos sete, e vai-se para a perdição Apocalipse cap. 17 - 11.

E o sangue de muitos inocentes ainda haverá de ser derramado.              

Guerreiros feridos são condecorados com Láureas de sangue.

Os soldados do Exército do Rei dos Reis, porém herdarão uma coroa de ouro, e a vida eterna.

A Nova Ordem Mundial está chegando e virá para cumprir o seu dever a rigor.

Quem quiser se livrar dela terá que aceitar a sua marca. 6 6 6 em troca da sua alma.

Revelação 13. 1 – Vi uma besta que saia do mar, [...] 2 [...] O dragão lhe deu seu poder, seu trono e grande autoridade.

4. Eles adorarão o dragão, porque dera a sua autoridade à besta [...] 7. Foi-lhe dado poder para guerrear contra o povo santo de Deus e derrotá-los.

10. “Se alguém há de ir para o cativeiro, para o cativeiro irá! Se alguém há de ser morto à espada, morto à espada haverá de ser!”

Yeshua.

 O ultimo, o Rei dos reis é o próximo, e está vindo, espere por Ele mesmo que  isto lhe custar a própria vida.

"Permaneça fiel até a morte, e Eu lhe darei a Vida como Coroa. Revelação 2.10.

Yeshua".

 

Leia o Artigo: O sétimo milênio e o fim da humanidade.

Oriente-se.

 

Por: Cornelio A.Dias

Março de 2013.

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 TAUEZEQ94_tsp.png

 

 

 

  Ler um   é:

Armazenar Informações;

Desenvolver a Intelectualidade;

Ampliar os Horizontes;

Compreender o Mundo;

Comunicar-se com o Próximo;

Escrever Corretamente;

Relacionar-se melhor com o Outro!

 Ler uma  é:

Armazenar Ensinamentos;

Desenvolver o Conhecimento;

Ampliar a Espiritualidade;

Compreender a DOUTRINA;

Comunicar-se com JESUS

Escrever a VERDADE;

Relacionar-se melhor com DEUS. 

IMAGEM TEXTO

Ore conosco ao som de belos louvores;

Chore aos pés feridos do Pai!

A tristeza logo passa, não demora.

Ele vos envolve e vos consola, 

Em seus braços, faz-vos descansar.

O Portal

Abra esta Porta de Meditação, Louvor e Oração,

clique aqui em:

Bíblia Online e Seleção de Louvores

e deixa Deus falar ao seu coração!

IMAGEM TEXTO

 

TAU_ORIGINAL_PORTAL.png  

 Leia Mais imagem 


Com: Paz seja convosco
Graça e Paz
A Paz do Senhor
Paz da parte... do Senhor
Paz de Deus
Shalom
Shalom Adonai
Bom dia; Boa Tarde; Boa Noite Irmão
Nenhuma da anteriores

 

 

Download

Descrição:

Bíblia Sagrada Digital

MediaFire – Down

 Jogo Show do Cristão

MediaFire – Down 

 

AlertaGeral

  

LEIA 

 

 

 

 

topo